2005/06/17

Tivera que se isolar para compreender. Nunca gostara de deixar assuntos inacabados. Inevitavelmente, já lhe acontecera. Mas, para sua satisfação, poucos tinham sido e de somenos importância.

O que faltaria para encerrar o assunto era algo ainda pouco claro. Aliás, pressentia que não era só ele a pensar dessa forma. Até podia estar enganado, até mesmo redondamente enganado, mas era um caminho, da sua própria mente, que lhe agradava trilhar.

Para a forma de pensar geralmente associada ao género masculino, o caminho seria evidente. Mas nunca tinha procurado marcas novas para a sua arma, não iria começar agora. Até porque o percurso até então o tinha elevado a promontórios de onde não desceria facilmente. O acto de posse é mental, e não físico. E, no caso em causa, ficaria desiludido com uma tarefa fácil. E duas palavras mantinham-se a ribombar-lhe no pensamento: “price” e prize”. O preço, esse, era demasiado elevado, embora perfeitamente ajustado à recompensa.

Queria correr atrás das palavras, sendo puxado por ela, quem sabe até permitindo-se dar-lhe a mão, se algum obstáculo de ocasião a atrasasse. Queria apenas um pouco mais de sonho, tocar a realidade dessa pessoa maravilhosa, até que chegassem a um entroncamento seguro e cada um seguisse o seu caminho.

2 Comments:

At 10:21 da manhã, Blogger sdfsfbsdfbsdfb said...

E se nesse entroncamento seguro o caminho que se seguisse fosse comum?... E se a recompensa valesse o preço?

 
At 2:18 da manhã, Blogger Barbara said...

"Queria apenas um pouco mais de sonho"

É tão isso que tb quero!!

Lindooooo

Bjo

 

Enviar um comentário

<< Home