2006/10/23

No trombil



Soprava forte. Quase violentamente, tanto que a bicicleta teimava em não rolar a direito, de vez em quando guinava repentinamente para a esquerda, lembrando que qualquer arremedo de inconsciente alívio da pressão nas manetes dos travões poderia acabar mal.

Não era um vento gélido, mas a sua força e o travo fresco dos pingos de chuva que se lhe juntavam transmitiam a serenidade que procuro nestas manhãs retemperantes de domingo.

(Se é verdade que a lama rejuvenesce a pele, a minha, hoje, deve estar macia como a de um bebé).


Foto daqui.

1 Comments:

At 9:19 da manhã, Blogger Luna said...

mmmm... que fofinho...

 

Enviar um comentário

<< Home