2007/02/16

Belo Carnaval



Foi traído pelo tilintar metálico dos apetrechos transportados dentro do saco, quando este bateu na esquina da cama enquanto tentava, sorrateiramente, entrar no quarto sem fazer barulho. Ela abriu a porta da casa-de-banho e sorriu para ele, como se o tivesse apanhado a fazer uma travessura, enquanto tentava o impossível: adivinhar o que teria congeminado para a noite. Olhou para ela e lembrou-lhe as regras do jogo: “Eu não entro aí, faz favor de fechar a porta e me deixar a sós!”.

Abriu o fecho e começou a retirar a ferramenta. Uma lamparina, o recipiente circular com os garfos, o prato metálico, o líquido inflamável, os fósforos, um frappé, a mala térmica porta-gelo. Encheu o frappé com o gelo, colocou a pequena garrafa de espumante a refrescar e cobriu o gelo à vista com os morangos. Fez iluminar a lamparina, partiu a tablete de chocolate em pequenos pedaços e colocou-os dentro do recipiente, agora aquecido pela chama. Despiu-se, deixando apenas os slips negros.

A porta da casa-de-banho entreabriu-se: “Cheira-me a... não acredito!” Entrou no quarto, deslumbrante, com o robe negro transparente sobre o négligé azul, mesmo a tempo de o ver soltar as folhas verdes de menta sobre a pasta castanha fumegante. Ele foi buscar um morango ao frappé e segurou-o entre os dentes, à espera da reacção. Ela sentou-se sobre o seu colo, inspirou fundo e procurou-lhe os lábios guarnecidos. Ele desviou-os, agarrou-lhe suavemente nos cabelos negros, puxando-lhe a cabeça para trás, e percorreu-lhe o pescoço com a ponta do fruto fresco, sentindo-a estremecer no braço que lhe rodeava a cintura.

Tirou-lhe o robe e deitou-a na cama. Mergulhou um novo morango no chocolate, retirou-o e soprou para que a temperatura baixasse, deixando cair duas gotas mornas, uma na base de cada seio. Segurou o morango nos dentes e deu-lho a provar, numa luta vigorosa de fruta, chocolate e saliva. Foi recolher as gotas caídas, enquanto puxava suavemente o négligé para baixo, até ao fundo do redondo sensual da barriga. Voltou ao frappé, recolheu novo morango gelado, deixou cair as gotas desde os seios, fez uma pausa, sorriu e depositou-lhe o morango na taça do umbigo.


Foto gamada daqui

8 Comments:

At 4:03 da tarde, Blogger robina said...

De slips negros? Sim senhor, linda figurinha, a rapariga com tanto negligé e sai-lhe uns slips negros :-)))))

 
At 4:35 da tarde, Blogger Ness Xpress said...

Tanta "produção" e vem com a dos slips :( :-)))))

 
At 5:15 da tarde, Blogger robina said...

Pois se é o que salta logo à vista :-)))) e depois comecei a imaginá-lo também de peúgas :-)))))

(Alguém tem de "ajavardar" isto senão até se torna monótono tanto elogio:-))

Bom Carnaval

 
At 6:20 da tarde, Blogger maria_arvore said...

Um Carnaval assim com tanta fruta faz logo salivar as papilas gustativas.

Só é preciso cuidado com o chocolate que se cola à barba. ;)))

 
At 7:34 da tarde, Blogger marta said...

Deixa, que qualquer boa lambidela tira o chocolate já seco da barba.

Muito bem "produzido"

Beijinhos

 
At 1:18 da manhã, Blogger Fausta Paixão said...

olha lá... mas se era um jogo, quem é que ganhou?
O produtor do filme? A protagonista?
E era meio filme ou longa metragem?

 
At 1:55 da manhã, Blogger Ness Xpress said...

Pois, Maria, ainda não tinha chegado o espumante...

Marta, tu gostas de chocolate, sem dúvida.

Fausta, ainda há jogos onde ganham ambos! E tantos adereços só numa longa metragem (ia dizer super-produção, mas lembrei-me do outro e até me arrepiei...)

 
At 4:50 da tarde, Anonymous Paula e Rui Lima said...

Olá!

Se gostas de cinema vem visitar-nos em

www.paixoesedesejos.blogspot.com

todos os dias falamos de um filme diferente

Paula e Rui Lima

 

Enviar um comentário

<< Home