2007/09/14

Sereias

Flúem com a elegância dos golfinhos nas pistas a meu lado. Os óculos novos presenteiam-me com as suas belas formas arredondadas na nitidez do ambiente cristalino. Dos seus membros desprendem-se finíssimas bolhas de ar, que sobem num rasto de luz, qual poeira levantada por magníficas éguas montadas por esplendorosas amazonas.

Passam por mim enquanto as tento admirar, à socapa, camuflado pelo movimento cadenciado da cabeça, que se vira para elas a cada três braçadas. Um esforço suplementar para prolongar até ao limite da exaustão a corrida em paralelo, enquanto os olhos se passeiam pelas formas esguias, elegantes do movimento de impulsão.

Afastam-se, não sou um adepto de corridas curtas, o meu forte são os desempenhos de fundo, a primeira impressão é sempre muito ténue, discreta por timidez evidente. Mas chego ao fundo e viro sem parar, uma e outra vez e outra e outra, o objectivo é aumentar a distância percorrida da última vez, numa corrida contra mim próprio. Tal como em cada encontro revelo um pouco mais, estendo sem pressas a passadeira daquilo que sou.

Às vezes noto que param até que eu vire e recomeçam de forma a ganhar em velocidade o que perderam em fôlego. Outras vezes são simplesmente mais possantes e vão-me dando voltas de avanço por maior técnica e menor experiência de vida. Passam de novo por mim, desconcentrando-me nas formas que escondem sob aquele trajo de sensualidade intemporal. Não é por acaso que é insubstituível nos concursos de beleza.

No final, enquanto tomo o duche retemperador e me perpassa o pensamento tão masculino quanto improvável de que entrarão por ali e me pedirão ajuda para se livrarem da incómoda veste, fico a pensar se as minhas formas serão também tão tentadoras no mundo subaquático.

2 Comments:

At 4:52 da tarde, Blogger £una said...

podes sempre ser tu a entrar no balneário feminino e tentar obter a resposta...

eheheh

 
At 4:03 da tarde, Blogger psique said...

ja tens respostas???
;)
lol

 

Enviar um comentário

<< Home