2008/09/24

Pensamentos ao vento

- Eu sei que tu não me roubavas esta ideia.

- Claro que não, a única coisa que eu seria capaz de te roubar era um beijo.

Corou intensamente ante a resposta inesperada, provocando nele uma reacção idêntica.

- Nunca mais me digas uma coisa dessas!

- Não direi, mas sabes que tinha que to dizer um dia.

Fez-se um silêncio de expectativa entre ambos.

- Só um beijo?

Ela sentiu-se na obrigação de quebrar o ambiente tão gélido quanto escaldante.

- Far-me-ia muito feliz...

5 Comments:

At 12:00 da manhã, Blogger maria_arvore said...

:)

As revelações de desejo adoçam-nos sempre o ego. E isso é um momento de pura felicidade. :)

 
At 2:51 da tarde, Blogger Ness Xpress said...

Também sou adepto desses pequenos momentos, Maria. O difícil é prever-lhes as consequências.

 
At 11:33 da tarde, Blogger maria_arvore said...

;)

A gelatina só escorrega se a desenformarmos. ;)

 
At 10:40 da tarde, Blogger Micas said...

Geralmente começa assim... só um beijo.
Depois... ai!
(o que irá ser desta história?...)

 
At 11:39 da manhã, Blogger Ness said...

Micas, quando me reformar vou finalmente enriquecer, a escrever argumentos de programas televisivos de transmissão em horário nobre ;)

 

Enviar um comentário

<< Home